About Esther, Guedali, Raquel, Rosa, Leão and Débora: Moacyr Scliar’s Literature and the Transmission of Judaism in Brazil

  • Cristine FORTES LIA Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul (Brazil)
  • Kelen Katlen STAEHLER INDICATTI State Technical School of Caxias do Sul (Brazil)

Abstract

History writing uses more and more elements that promote recognition of the historical experience of the other. The sensible narratives are incorporated in the historiographic production, establishing a connection among the historical agents. The testimony literature is constituted as a privileged register of these social paths, revealing particularities about the daily sensibilities of different groups, making a broader comprehension of the analyzed process possible. This text focuses on the literary works  O centauro no jardim , O ciclo das águas and  Os deuses de Raquel , by the Gaúcho Jewish writer Moacyr Scliar, identifying their contribution to the comprehension of the immigration History and the ways of adaption of the Jewish community in the South of Brazil, in the 20th century

Author Biographies

Cristine FORTES LIA, Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul (Brazil)

Ph.D. in History from the Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul (Brazil). Professor and researcher of the Degree Course and Post-Graduate Program in History of the University of Caxias do Sul (Brazil)

Kelen Katlen STAEHLER INDICATTI, State Technical School of Caxias do Sul (Brazil)

Graduate in History from the University of Caxias do Sul (Brazil). Professor of Basic Education and Vice-director of the State Technical School of Caxias do Sul (Brazil)

References

• Batista Ody, A.P., Lia Fortes, C. (2013). Esther, Guedali e Raquel: a imigração judaica na América Latina na visão de Moacyr Scliar. Anais do II Congresso Internacional de His-tória Regional. Passo Fundo: UPF.
• Borges, Rezende V. (2010). História e Literatura: Algumas Considerações. Revista de Teoria da História, 1 (3).
• Borin, M.R. (1993). Memória e história: os sefaradim em Porto Alegre. Dissertação (Mestrado em História). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
• Carneiro Tucci, M.L. (2003). O veneno da serpente. São Paulo: Perspectiva.
• Chartier, R. (2010). História Cultural: entre práticas e representações. 2 ed., Rio de Janeiro: Difel.
• Fernandes Barros Barcelos, E. (2012). Do dever de memória ao dever de história: um exercício de deslocamento. In: M. de A. Gonçalves (org.). Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: FGV.
• Franco, R. (2003). Literatura e catastrofe no Brasil: anos 70. In: M. Seligmann-Silva (org.), História, Memória, Literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas: Ed. Unicamp.
• Frank, O., Pressler, M. (org.) (2014). O diário de Anne Frank. São Paulo: Record.
• Gagnebin, J.M. (2006). Lembrar/escrever/esquecer. São Paulo: 34.
• Gill Almeida, L. (1993). Clienteltciks: os judeus da prestação em Pelotas (RS): 1920-1944. Pelotas: Universitária.
• Ginzburg, J. (2008). Linguagem e trauma na escrita do testemunho, http://www.artigosgauchos.com/conexões/3/cap6.pdf.
• Gritti, I.R. (1993). A imigração judaica para o Rio Grande do Sul: a Jewish Colonization Association e a colonização de Quatro Irmãos. Dissertação (Mestrado em História), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
• Hermann, N. (2001). Ética, Estética e Alteridade, http://www.ufsm.br/gpracioform/.
• Le Goff, J. (1990). História e Memória. Campinas: Ed. Unicamp.
• Lia Fortes, C. (2004). Bons cidadãos: a comunidade judaica do Rio Grande do Sul durante o Estado Novo (1937-1945). Tese (Doutorado em História), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
• Pollak, M. (1987). Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos, 2 (3).
• Pollak, M. (1992). Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, 5 (10), 200-212.
• Salgueiro, W. (2012). O que é literatura de testemunho. Considerações em torno de Graciliano Ramos, Alex Polari e André Du Rap. Rio de Janeiro: Matraga.
• Sarlo, B. (2007). Tempo passado: Cultura dá memoria e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras.
• Scliar, M. (1972). A guerra no Bom Fim. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura.
• Scliar, M. (1977). O ciclo das águas. Porto Alegre: Globo.
• Scliar, M. (2001). Os deuses de Raquel. Porto Alegre: L&PM.
• Scliar, M. (2011). O centauro no jardim. São Paulo: Companhia das Letras.
• Seixas Alves, J. (2001). Os tempos da memóra: (des)continuidade e projeção. Uma reflexão (in)atual para a história? Proj. História, São Paulo.
• Seligmann-Silva, M., Nestroviski, A. (2000). Catástrofe e Representação. São Paulo: Escuta.
• Seligmann-Silva, M. (2003). O testemunho: entre a ficção e o “real”. In: História, Memória, Literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas: Ed. Unicamp.
• Seligmann-Silva, M. (2008). Narrar o trauma: a questão dos testemunhos das catástrofes históricas, http://www.scielo.br/pdf/pc/v20n1/05.pdf.
• Sorj, B. (1997). Sociabilidade Brasileira e Identidade Judaica. In: B. Sorj (org.), Identidades judaicas no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Imago.
• Zilberman, R. (1998). Moacyr Scliar e a história dos judeus no Brasil. In: A. Slavutzky (org.). A paixão de ser: depoimentos e ensaios sobre a identidade judaica. Porto Alegre: Artes e Ofícios.
Published
2017-12-30
Section
Articles

Keywords

Judaism, testimony, history, literature, imigration

How to Cite
FORTES LIA, Cristine; STAEHLER INDICATTI, Kelen Katlen. About Esther, Guedali, Raquel, Rosa, Leão and Débora: Moacyr Scliar’s Literature and the Transmission of Judaism in Brazil. Revista del CESLA, [S.l.], n. 20, p. 193-208, dec. 2017. ISSN 2081-1160. Available at: <http://revistadelcesla.com/index.php/revistadelcesla/article/view/414>. Date accessed: 16 july 2018.